top of page

Você Sabe Quando É Hora de Desapegar?

Você já teve aquela sensação de "Eu não tenho nada para vestir"? Por muitos anos eu vivi esse dilema e só depois da concluir minha formação em Consultoria de Imagem, pude encaixar muitas peças deste quebra cabeças e tomar uma atitude toda vez que tenho esta sensação em minha vida, sim, eu ainda tenho e mais tarde você vai entender porque isso acontece com todo mundo em algum momento da vida.

Mas primeiro, quero te contar que muitas vezes ela está relacionada a falta de compreensão do momento certo de desapegar e até da importância em incluir este hábito na vida com periodicidade.


Pense comigo, somo seres em constante movimento, estamos o tempo todo aprendendo coisas novas, vivendo novas fases, evoluindo, nos transformando, mas o nosso closet não, ele não tem a mesma capacidade de autorregulação, ele é estático e vai precisar de uma ajuda. Nada, exatamente nada muda ali dentro, a não ser que você traga este movimento e esta transformação a ele.



A verdade é que o ato de desapegar muitas vezes está intimamente ligado ao nosso lado emocional. Algumas vezes é fácil, é racional:

- manchou;

- quebrou;

- rasgou;

Já era.


Outras vezes não. Fazemos o possível e o impossível para remendar, lavar, colar e isso acontece porque são itens que fazem parte do nosso outro lado, o lado emocional e ali não enxergamos objetos, enxergamos histórias, os momentos que vivemos, as sensações que tivemos, quem nos presenteou, as vezes é até um apego econômico, ao preço que investiu-se naquilo e isso também é motivo de muito apego.

Hoje, durante a maior parte dos meus atendimentos (tirando minhas clientes nômades e minimalistas), percebo que a principal dificuldade quando o assunto é estilo e closet, além da desconexão consigo, é justamente definir quando é o momento certo para deixar uma peça ir e justamente abrir o espaço para o novo.


E os dois estão intimamente ligados, ora, se não sei quem sou, como vou saber do que preciso? Melhor deixar tudo aqui como está, um dia posso precisar. E assim muitas pessoas seguem colocando, sem tirar nada.


Mas, quando você não consegue abrir mão daquilo que já fez (no passado) muito sentido um dia, porém hoje não mais, mesmo que compre algo novo, aquela nova belezura vai ficar escondida, perdida, sem espaço e sem companhia, diante de tanta coisa que você no momento já não usa mais.


É muito comum ver pessoas que pulam a etapa da limpeza, porque não conseguem desapegar e seguem comprando e comprando e comprando achando que trazer novos itens, vai eliminar de vez a sensação de não ter o que usar e resolver o problema.


Mas é justamente ao contrário, abrir um closet cheio de "nada" é muito pior do que ter poucas coisas porém todas que deixam você feliz e satisfeita(o).

O resultado disso é um armário cada vez mais cheio de peças desconectadas entre si e desconectadas de você, pouco tempo depois já se verá novamente na mesma situação, sem ter o que usar.


Mas afinal, quando desapegar?


Levando em consideração aquele ditado, o óbvio também precisa ser dito, fiz aqui uma lista das situações "mais óbvias" na qual muita gente fecha os olhos e finge que está tudo bem, quando na verdade, deveria desapegar , aliás, dar novos destinos as suas peças faz a vida de muitas pessoas melhor. Jogar no lixo deve ser seu último recurso. Portanto se ainda estiver em dúvida, pense em quantas vidas estará impactando. Fazer o bem nos faz bem.


Então chegou a hora de ver quantos itens desta lista você se enquadra e dicas rápidas para resolver esta situação:

  1. Peças furadas e rasgadas - por menor que seja o furo, ou dá um pontinho ou dá um

tchauzinho. Usar peça furada nunca, jamais, nem em casa, nem sozinha, para outros ou para pessoa mais importante desse mundo, que é você e ela está vendo a forma como você está se "maltratando". Você merece o melhor. Nem lingerie, nem meia. Acredite na lei de Murphy, ela vai te deixar de saia justa, então não dê mole para o azar e confira o que pode seguir adiante (OBS: peças íntimas devem ser descartadas, mesmo que higienizadas).



2. Peças manchadas, amareladas e desbotadas - Se você não conseguir tingir a peça ou customizar para camuflar os pequenos detalhes a probabilidade de você comunicar desleixo e desvalorizar sua imagem pessoal quando usa um item assim é de 100%. Se você quer ser respeitada(o) e valorizada(o), suas roupas, calçados e acessórios devem estar alinhados na mesma direção. Portanto, não se apegue ao que já desapegou de você. Agradeça e deixe ir. Tudo tem o seu tempo e sua utilidade e não é até cair.


3. Peças que perderam a tensão do elástico - sabe aquela meia ou aquela calça que perdeu o elástico e ficou "desbeiçada"? Aquela gola esgarçada? Pois é, ela foi-se para nunca mais voltar. e pelo mesmo motivo anterior, não deve fazer parte do seu guarda roupas. Agradeça e diga tchau também.


4. Peças que você está guardando para quando emagrecer - atenção alerta de armadilha!

Quero te contar que se a peça já tem mais de 1 ano parada esperando esse evento, a chance de quando acontecer e você não se identificar mais com ela é de 99,9% isso porque para emagrecer você precisou superar muita coisa, se transformar e você já não é mais a mesma, vai precisar de roupas novas, para o seu novo eu. Portanto combine um prazo curto, no máximo 90 dias. Se não acontecer, passe adiante e na hora da vitória, celebre comprando novas peças para o seu novo eu! Você merece!





5. Peças que você está guardando para quando a "moda voltar". A moda é cíclica sim, mas você não só precisa como deve ter o seu estilo próprio e não ser uma vítima da moda. Não faz sentido no mundo em que vivemos trocar o guarda roupa inteiro a cada estação, na verdade isso está fora de moda. Além do mais, as tendências voltam, mas estão sempre repaginadas. Então a chance dos seus itens continuarem parados no tempo e se tornarem peças de um museu da moda são grandes. Viva o presente, celebre sua personalidade, autenticidade e se tudo isso casar com alguma tendência do momento, que seja uma pequena porcentagem. Avalie sempre antes de trazer algo muito "fashionista" se vai combinar com tudo o que você já tem e tente criar o máximo possível de combinações na sua cabeça antes de dizer "felizes para sempre."


6. Materiais que estão descascando ou se desintegrando. Com a moda "ecológica" muitos

materiais foram substituídos, como por exemplo o poliuretano no lugar do couro animal. Infelizmente esses materiais sintéticos têm um ciclo de vida mais curto e os itens simplesmente se desintegram do dia para a noite, sem causa aparente. Se isso acontecer com os seus você tem 2 opções: quando é uma pequena parte, pode mudar o local danificado por um tecido, pode modificar o modelo ou pode desapegar e entender que aquele item já cumpriu o seu papel.






7. Peças que não te favorecem e não te deixam feliz - Independente do valor que você pagou - Ninguém quer estar "mais ou menos" ou "bonitinho ou bonitinha". Se você não se sente bem quando usa uma peça, se o espelho não flertou com você e não houve aquele match instantâneo, se não sente que seu corpo, seu rosto ou sua beleza estão sendo favorecidos com o item, não insista. Com certeza tem muita coisa incrível de verdade esperando por você. Mantenha só aquilo que for incrível!


8. Crie suas próprias regras para desapego, estabeleça seus limites para sua versão atual, sua prioridade e seja fiel a sua essência.



Sempre que passamos por mudanças em nossa vida, tudo muda também. Se nossos itens não conseguem se adaptar por algum motivo a quem somos hoje, não faz sentido mantê-los parados. Ninguém consegue viver uma vida sem propósito e a mesma regra devemos aplicar aos nossos itens, que precisam ter sua serventia e utilidade.


Quando perceber que está difícil tomar essa decisão, uma dica que te dou é avaliar se o item em questão irá te ajudar a chegar mais perto para alcançar seu objetivo atual? E lembre-se,

Se não for um sim com convicção, com certeza é um não com convicção.


Eu sei que é muito mais fácil falar e escrever do que colocar tudo isso em prática e digo isso por experiência própria. Todas nós temos nosso ponto fraco e por isso, para mostrar que também já passei por tudo isso que você está passando mas com paciência, leveza e objetividade, é possível deixar ir e sentir-se bem, porque o que te espera do outro lado, é sempre surpreendente.

Se precisar de mim, saiba que eu estou aqui, para trocar e conversar.


Durante um processo de limpeza meu principal papel não é o de falar, mas sim de questionar, para que você consiga enxergar as coisas com maior profundidade, encontrar respostas para as suas perguntas. Com mais

conhecimento de causa e então conseguir tomar decisões com o coração tranquilo.


Não existe ninguém que pode fazer esse processo por você, eu posso te ajudar, dar minha opinião, mas a palavra final sempre será do cliente. Esse é um momento muito pessoal e eu posso te dizer que muitas vezes você já sabe a resposta e só precisa de alguém que te dê aquele empurrãozinho. Mas tudo o que você precisa já está dentro de você.


Tenha Coragem. Confie no processo e bom desapego!



54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page