top of page

Neste Dia Internacional da Mulher - Te Desejo Muito Batom Vermelho


De artigo de bruxaria, a arma de sedução, conheça este que foi símbolo de classes sociais e depois na luta pelo direitos das mulheres, hoje te conto um pouco mais a história do batom vermelho e quem sabe de quebra não te convença a adicioná-lo a sua imagem também?!


Na Idade Média, o batom foi proibido pela Igreja Católica por ser considerado imoral, e seu uso ficava restrito às prostitutas. Foi apenas no reinado de Elizabeth I, a partir de 1558, na Inglaterra, que o batom vermelho chegou à nobreza. A rainha era fã do visual com a pele pálida e os lábios bem tingidos.


BRUXARIA


Em 1700 o governo britânico aprovou uma lei condenando formalmente o batom vermelho, as mulheres condenadas eram culpadas de seduzir os homens para o matrimônio por meio de cosméticos poderiam ser julgadas inclusive por bruxaria. O artigo poderia inclusive levar a anulação do casamento e por algumas décadas caiu em desuso.


SÍMBOLO DE LUTA


Durante o movimento sufragista nos Estados Unidos, em 1912, Elizabeth Arden distribuiu 15 mil unidades para as apoiadoras que marchavam pelo Direito ao Voto, em Nova York. O que trouxe ainda mais força para que a tintura nos lábios fosse considerada símbolo de luta e resistência entre o sexo feminino.


Nos anos 1950, Marilyn Monroe fazia questão de usar cinco camadas de batom, para garantir a intensidade do tom que virou sua marca registrada e nos anos 1980 foi Madonna quem resgatou o poder do batom vermelho nos palcos.



HISTÓRIA

Os registros mais antigos do uso da coloração nos lábios datam a 3.500 A.C. pelos povos Sumérios. Mas historiadores registram que o ato da pintura labial foi desenvolvido mesmo no antigo Egito e podia ser usado por homens e mulheres.


As misturas labiais continham os mais curiosos e perigosos ingredientes como carmin, ocre, cera, gordura, pétalas de açafrão, toranja e animais esmagados em sua composição.


Na Grécia Antiga, as mulheres tinham pouco poder e não eram autorizadas a usar batom em público, com exceção das prostitutas, que na verdade possuíam mais poder legal, o que as possibilitava exibir pinturas labiais (que muitas vezes eram feitas com corante vermelho, suor de ovelha ou excremento de crocodilo). Isso infelizmente levou à primeira lei relacionada ao batom, que dizia que as prostitutas podiam ser punidas se aparecessem sem o batom, pois poderiam ser confundidas com “mulheres normais”.


Já na Roma Antiga serviu como artigo de distinção de classes sociais: mulheres e homens da alta sociedade na região da Itália usavam o tom de rosa-choque, enquanto que o vermelho indicava pessoas de classe inferior.


A resistência ao batom vermelho foi diminuindo no início do século 20 por causa da crescente popularidade da cor nos filmes, que contavam com estrelas do cinema usando lábios bem escuros.


Em 1933, foi declarado como “o cosmético mais importante para as mulheres”, o que evidenciou o crescimento contínuo das vendas do produto, mesmo com a grande depressão.


Inspirando o conhecido Lipstick Effect (efeito batom), um termo usado pelos economistas para explicar por que os consumidores continuavam a comprar algo tão simples para levantar o ânimo durante épocas de grande dificuldade financeira.


Durante a Segunda Guerra Mundial, surgiu o “Vermelho da Vitoria”. Foi uma forma de encorajar as mulheres a manter o item como parte da rotina, apesar do que estava acontecendo no mundo. Um anúncio dos batons Tangee, por exemplo, declarava: “Nenhum batom… irá vencer a guerra. Mas ele simboliza uma das razões pela qual estamos lutando – o precioso direito da mulher ser feminina e linda em qualquer circunstância.”

DIAS ATUAIS


Na maior parte do mundo, hoje as mulheres têm a liberdade de exibir lábios vermelho-ardente, sem receio, e as pessoas são mais livres para usar o cosmético como meio de expressão, independente de seu sexo ou condição social. Talvez uma das maiores dificuldades que enfrentamos nos dias de hoje seja escolher o tom perfeito!


Hoje, o que eu mais desejo é que as mulheres quebrem estes tabus e convenções sociais e encontrem no seu lábio vermelho não somente um símbolo de resistência e das conquistas de muitas mulheres que vieram antes de nós e lutaram por ganhos na nossa vida que são até "banais", mas também de liberdade de expressão e de reencontro com o seu íntimo, sua essência e beleza.


O vermelho, é uma cor que comunica sim sedução e precisa ser bem empregada em sua composição de roupas, etc para não cair na margem do vulgar ou insinuante do imaginário popular, mas quando usado de maneira correta, imprime força, energia, ambição, poder e até mesmo confiança!


Então se você ainda não tem o costume de usar a cor nos lábios, que tal aproveitar o dia de hoje para experimentar?


E se você já sabe qual é a sua cartela, aí vão algumas opções de tons para você:



Feliz dia Internacional da Mulher!

Desejando um mundo com mais de bocas vermelhas!



147 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page