top of page

Guia de Tecidos - Como Escolher o Certo Para Você

Há algum tempo fiz uma postagem sobre tecidos de verão e foi uma das mais curtidas (confira aqui)!


Pensando nisso e na diferença que a escolha do tecido certo tem não só para a aquisição de uma peça estratégica, mas também para a proposta do seu visual, elaborei este post para te ajudar a fazer a escolha mais assertiva.


Se você é uma pessoa que gosta de looks "básicos" especialmente com cores neutras, esse post pode te ajudar muito, sabe por que? Porque o segredo para construir um look "simples" que não seja entediante é brincar com formas, texturas e caimento!


Para fazer estas escolhas, o segredo é sempre antes de comprar decifrar as etiquetas internas e se você ainda ficar com dúvidas, converse sobre a composição da peça desejada com a sua Consultora de Imagem ou com a vendedora da loja onde você costuma comprar e confia.


1) Tipos de Tecidos

TECIDOS PLANOS

A primeira coisa é entender o que são os tecidos planos: São tecidos que possuem pouca elasticidade e predominantemente lisos. Você pode fazer um teste simples pegando duas pontas do tecido e esticando, vai notar que eles não cedem, se isso acontecer, saberá que este é um tecido plano.


Estes tecidos são perfeitos para constituir peças mais sofisticadas e formais, normalmente são peças mais estruturadas justamente por não cair junto ao corpo.


A estrutura comunica mais elegância e sofisticação, além de não marcar tanto o corpo, (uma linguagem que confere maior sensualidade e portanto informalidade). Esses tecidos também podem te ajudar a preencher espaços dos quais sente falta no seu corpo, por exemplo, se você se enxerga com o ombro menor em relação aos quadris, pode apostar em partes de cima mais estruturada que trarão este volume que sente falta na parte superior do corpo.


Exemplos de tecidos planos: cetim, sarja, shantung, lã e tricoline.


TECIDOS EM MALHA

Tramados com fios na mesma direção, direção horizontal, a malha é um tipo de tecido que possui muita elasticidade e são perfeitos para criar peças confortáveis e esportivas.


Por ser maleável, condição que permite muito movimento corporal, a malha é perfeita para peças de academia, peças que desamassam facilmente e roupas mais confortáveis.


Estes tecidos normalmente caem junto ao corpo e marcam bastante suas curvas. Se objetivo não for este, busque equilibrar com uma peça mais solta juntamente com a peça ajustada, como por exemplo uma calça de malha com uma camisa mais comprida e larga (veja o exemplo na foto abaixo).




Essa comunicação confortável e esportiva acaba traduzindo uma linguagem mais informal, então atenção para a escolha e se este não for o objetivo, evite as peças em malha momentos de trabalho e maior formalidade.


Claro que tudo depende do ambiente, então sempre gosto de dizer que o bom senso é a sua principal régua de medida quando o assunto é estilo pessoal.


Exemplos de tecidos com malha são: viscolycra, jersey, space dye e molinê.

Macacão em Viscose


TECIDOS COM ELASTANO

A evolução da indústria têxtil colocou a nossa disposição hoje diversas opções de tecidos

que podem ser utilizados para confeccionar roupas de trabalho, casuais e, acredite, até mesmo roupas de festa com conforto e praticidade quando fazemos esta mistura de tecidos e adicionamos em sua composição um pouco do ingrediente mágico, o elastano.


Exemplos de tecido com elastano: jeans, poliéster, algodão, viscose, linho, tricoline e poliamida.


As vantagens aqui são de serem tecidos que possuem maior durabilidade e maior versatilidade, porém como toda fibra sintética, o elastano retém calor e dificulta a transpiração do corpo. Ele também é sensível a altas temperaturas, portanto, queima facilmente se passado a ferro em alta temperatura e pode sofrer alteração quando colocado na máquina de secar (oops)!


Estes tecidos normalmente são bem coringas e podem fazer parte do seu guarda roupas em diversos momentos e ocasiões do seu dia e normalmente são aquelas peças estratégicas que vale ter.



2) Tipos de Fibras


Quando falamos em fibras dos tecidos, as fibras podem ser NATURAIS, SINTÉTICAS ou ARTIFICIAIS.


Cada uma tem suas próprias qualidades e características, e dependendo do modo como o fio é fabricado ou se houver alguma mistura na composição, o desempenho e a aparência do tecido podem ser afetados. Aí a gente acaba levando aquela peça super quente, achando que é leve e fresquinha e a roupa fica na gaveta, sem uso. Por isso o primeiro passo antes de comprar a peça, é olhar a etiqueta de composição!


FIBRAS NATURAIS

Eles duram mais e são mais confortáveis. Além disso, não dão cheiro ruim pois permitem que o corpo faça a troca de calor e transpire, sem reter o suor em sua trama, portanto não esquentando tanto.


A desvantagem é que muitas são difíceis de obter, passam por processos delicados, manuais e artesanais, por isso normalmente são peças mais caras, além disso, normalmente amassam com maior facilidade, o que dependendo do ponto de vista, pode ficar até mais "chique", como por exemplo no caso do linho.


Exemplos: Algodão, Linho, Seda, Lã, Cânhamo, Sisal, etc.

Foto da esquerda: Algodão, Central: Linho, Direita: Seda


FIBRAS SINTÉTICAS

São obtidas a partir de produtos químicos encontrados principalmente no carvão, gases e petróleo. Hoje elas são amplamente utilizadas na indústria têxtil por conta de seu baixo custo e alta resistência.


Sua vantagem é que secam rápido e não amassam tanto, mas infelizmente não deixam o corpo transpirar direito e por isso dão mais cheiro, apesar de serem boas em algumas ocasiões como viagens ou para quem fica sentado/se mexendo o dia todo. Outro ponto negativo é que dão as famosas “bolinhas” na roupa, deformam mais na costura e desgastam mais rápido, especialmente nas lavagens.


Exemplos: Poliéster, poliamida, acrílico, vinil, poliuretano, nylon, neoprene, etc.

Esquerda: Jaqueta em Neoprene, Central: casaco e bolsa em Nylon, Direita: Vinil


FIBRAS ARTIFICIAS

De certa forma estas fibras também vêm da natureza, porém elas não são usadas na sua forma original, assim como as naturais que expliquei acima. Elas passam por inúmeros processos químicos e físicos que modificam seu estado em laboratório, por isso são denominadas de artificiais.


São mais confortáveis no corpo, além disso, algumas modernas hoje são biodegradáveis e possuem ótima durabilidade! A desvantagem é que não absorvem a transpiração, as vezes podem ficar com cheiro e esquentam mais o corpo, porém não tanto quanto as sintéticas!


Exemplos: Viscose, Modal, Liocel, Tencel, Acetato


Esquerda: Conjunto em Modal, Centro: Calça em Liocel, Direita: Blusa em Viscose


Agora que você já sabe tudo isso sobre tecidos, saiba que uma camisa de poliéster não pode custar o mesmo valor do que uma camisa de seda, se isso acontecer atenção! Você vai pagar um preço muito alto por marca do que por qualidade e durabilidade.


Entenda também que se você deseja passar uma imagem elegante, busque investir mais em peças com qualidade, principalmente com bons tecidos, para garantir maior sofisticação. Outros fatores que importam também nesta escolha são os acabamentos (farei um outro post sobre eles), o corte e os detalhes.


Quer dizer que elegância está atrelada a ter dinheiro? Não. É possível ter um guarda roupa equilibrado o famos hi-lo, com peças estrategicamente sofisticadas e outras mais simples, também é possível encontrar achados bacanas em lojas de departamento que não são de custo tão alto e que podem te oferecer um bom custo benefício em termos de composição e estrutura para o dia a dia.


Assim é possível economizar um pouco e apostar em roupas de tecidos sintéticos ou mesclados e reservar aquelas peças mais "bacanas" para alguma reunião ou evento mais importante ou formal, tornando realidade a possibilidade de mesclar partes de tecido natural, misturado ou até sintético, tudo vai depender do seu estilo e da sua proposta de imagem.


Gostou deste post?

Me conta aqui qual é o seu tecido favorito para uma peça versátil?

O que mais você gostaria de aprender sobre guarda roupa?


348 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page